Implante imediato em área estética: como fazer com excelência

2 anos atrás por / 4 minutos de leitura

Nos dias de hoje, a reabilitação de implante imediato em área estética requer uma interação multidisciplinar cada vez mais intensa, afinal, especialidades separadas levam, muitas vezes, à insatisfação do paciente com o resultado final. O planejamento do caso, com a união da estética rosa e branca se torna a grande chave para a previsibilidade e sucesso nas reabilitações estéticas.

Quando assumimos um tratamento com a ausência ou a falha de um ou mais elementos dentários, muitas técnicas e propostas terapêuticas são descritas na literatura, e várias delas tornam a vida do cirurgião dentista desafiadora e complicada com inúmeros passos e protocolos extensos.

A ausência de um elemento dentário por extração prévia ou agenesia, traz algumas vantagens ao cirurgião, tais como: osso já parcialmente formado, tecidos moles cicatrizados e ausência de patologias se elas existiam. Nos casos que nos deparamos com uma região na qual devemos extrair um dente comprometido e se possível instalar um implante imediato, temos vantagens operacionais tais como: diminuição no número de procedimentos e consequentemente diminuição do tempo de tratamento, mas não vantagens biológicas, pois de acordo com inúmeros trabalhos, não existe diferença do ponto de vista de osseointegração comparando implantes imediatos e alvéolos cicatrizados, os resultados são os mesmos. E implantes imediatos obviamente falham na prevenção de reabsorção ósseas.

Portanto, implantes imediatos trazem vantagens operacionais e nem tanto biológicas, devendo sempre ser indicados quando temos uma condição óssea adequada para a instalação tridimensional correta e inegociável do implante e margens gengivas com alteração de no máximo 3 mm comparadas com o dente contra-lateral, para que o implante imediato não se torne um risco estético. Outros fatores contra-indicam o implante imediato, tais quais: presença de infecção ativa, ausência de parede óssea vestibular e biotipos de tecidos finos. Fatores estes que são questionáveis e ao nosso entender e não determinantes, comportando-se muito mais como pontos de atenção para a correta seleção da técnica cirúrgica.

A chave para o implante imediato em área estética

Definimos a previsibilidade para o sucesso em implante imediato em área estética em 9 simples passos:

1- Correta indicação e seleção do caso conforme conversamos acima

2- Planejamento digital da instalação do implante (MGuide)

Sem dúvidas, o planejamento feito de maneira digital possibilita ao cirurgião executar o correto posicionamento tridimensional do implante, minimizando erros principalmente no setor anterior, no qual a demanda estética é alta.

3- Extração minimamente invasiva, cuidando dos tecidos

Instrumentos como Benex e seus similares, periótomos delicados e pequenos fórceps nos ajudam neste passo.

4- Cirurgia Flapless

Desta maneira, minimizamos os processos de manutenção e perda de tecido.

5- Instalação do implante no correto posicionamento tridimensional

Ápico-Coronal: 4 mm de distancia da futura margem gengival.

Mesio-Distal: pelo menos 1,5mm de distancia dos dentes vizinhos naturais.

Vestíbulo-Palatino: em torno de 1,5/2mm de distância da possível ainda existente parede óssea vestibular.

6- Reconstrução Tecidual Estética através do uso de uma biometeria de longa reabsorção

No “gap” entre o implante e a possível ainda presente parede óssea vestibular como o intuito de minimizar e compensar os efeitos da reabsorção pós extração que acontecerá invariavelmente em 100% dos casos. Esta etapa ainda consiste no enxerto de tecido conjuntivo envelopado com o objetivo de aumentar o biotipo tecidual, garantindo estabilidade óssea ao redor dos implantes, estética tecidual e prevenindo recessões a longo prazo.

7- Design do Provisório

Acompanhando a cópia ideal no contorno crítico (1mm sub-gengival) do suporte tecidual e secção do dente e um sub-contorno na região sub-critica (abaixo do 1mm sub-gengival), para dar espaço para os enxertos e aumentar o biotipo tecidual.

8-Após 90 dias, desenhar o abutment final seguindo os contornos adequados do provisório

9- Entrega da coroa final híbrida e evitar sucessivas desconexões para não gerar perda de tecido

A Integração entre a Periodontia, Implantodontia e Prótese são fundamentais para o sucesso das restaurações implanto-suportadas em área estética visto que o sucesso do caso e o maior desafio se dá na zona de transição entre a restauração e o tecido gengival.

A união entre as especialidades, o correto uso de técnicas minimamente invasivas cirúrgicas e protéticas e uma real integração com o laboratório de prótese tornam procedimentos de substituição de elementos dentais em zona estética previsíveis e com resultados naturais.

ESCRITO POR

Especialista em Cirurgia e Traumatologia buco maxilo facial, pós graduação em Periodontia e Implantodontia e Fellowship International em Cirurgia Plástica Periodontal e Periimplantar em Antwerp/Belgica com Dr.Eric Van Dooren.

Leia também

Implantodontia 360º - Marrakech 2020

2 anos atrás por Mariana Fernandes / menos de um minuto de leitura

Leia mais

0 comentários

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado

Salvar meus dados para a próxima vez que eu comentar

ENTRE EM CONTATO

Fale com um consultor

Carregando

QUER RECEBER VISITA DE UM CONSULTOR?